Não é só no Brasil que maltratamos nossos ídolos – Caso Totti

25 de fevereiro de 2016

12395363-fbl-eur-c1-roma-real-madrid

Salve Dudes! Puxando um passado recente desta indústrial vital, no nosso episódio número 1 do Dudecast falamos sobre ídolos. Se você ainda não ouviu, clique aqui. Quase 3 anos depois, revivo o assunto, porém não para comentar sobre meus ídolos nem nada. Mas sim, pra falar do desleixo e maltrato com eles.

O Brasil volta e meia é acusado de “um país sem memória” por não valorizar quem deu o sangue por esta terra. E na maioria dos casos é verdade. Muitos personagens e personalidades são deixadas de lado, ou então, como forma de serem lembrado ganham uma rua com seu nome. Ou uma praça. Além, de tudo isso vir pós-mortem, o que eu acho um tremendo absurdo!

Porém, na última semana fiquei impressionado com o caso de Francesco Totti. O Capitano está desde 1992 na Roma. E só jogou por lá! Claro que sabemos que a idade chaga para todos e que Totti não seria titular em todos os jogos. Já não vinha sendo com o técnico francês Rude Garcia e com o italiano Luciano Spaletti menos ainda. E justamente isso, a falta de minutos em campo, deixou exposta a falta de comunicação entre trinador e atleta.

Insatisfeito, Totti disse: “A minha relação com Spalletti? Dizemos bom dia e boa noite. É isto. Ele diz coisas muito simpáticas nos jornais, mas não o faz frente a frente comigo. Respeito-o enquanto treinador e penso que tem o que é necessário para ficar no clube”, explicou Totti ao canal RAI 1, antes de abrir a porta de saída: “Sinto que estou em boa forma física e quero jogar. A lesão está ultrapassada e se não jogo é unicamente devido a decisão técnica. Assim não posso continuar na Roma. Magoa-me ficar no banco”.

Percebi que não é só por aqui que acontecem esse tipo coisa. Minha pergunta é porquê jogamos pra baixo, ou deixamos de lado, quem sem deu o máximo? Não só no caso de futebol. Posso alongar ainda mais essa lista com outros setores e outros personagens.

Voltando ao caso Totti: acredito que caso não se resolvam internamente, o casamento acabará. Depois de 750 jogos oficiais, uma marca histórica, e 300 golos em 23 anos de ligação à Roma. Um grande pena para o futebol. Uma grande decepção por tudo que ele representa para uma legião de fãs apaixonados do futebol e da Roma.

Nos vemos na próxima semana, fechado? Se quiser mandar sugestões pro Dedey é só enviar um e-mail para: andrey@thedudes.com.br ou mandar um tweet para @Andrey_Mattos.

#ForzaCapitano

Espalhe o Dudecast
The Dudes © 2016