Multiverso do Pedroca #2 – Batman Arkham City

5 de julho de 2015

Olá DUDES, surgindo das sombras em mais um domingo de coluna, cá estou eu, o Pedroca. E desta vez, vamos falar não sobre um quadrinho específico, mas sobre algo relacionado intimamente com essa mídia. Vamos falar sobre um Jogo de qualidade altíssima, que ganhou inúmeros prêmios (inclusive o de jogo do ano), e cujo personagem principal não agrada muito nosso querido Andrey Mattos. Isso mesmo DUDES, vamos falar sobre BATMAN ARKHAM CITY.

468px-Batman_arkham_city_logo
     Antes de falarmos sobre o jogo, vamos à sinopse do mesmo:
“Batman: Arkham City é a continuação de Batman: Arkham Asylum, um dos mais celebrados games de super-heróis de todos os tempos. Na trama, o prefeito Quincy Sharp, antigo diretor do Asilo Arkham, murou bairros inteiros de Gotham, criando Arkham City, uma cidade que funciona como uma super-prisão. A única regra existente é que seus habitantes não podem sair de lá. Os próprios vilões administram a cidade, com Hugo Strange como diretor. O Batman, claro, não gosta nada disso – e passa a patrulhar o lugar.” FONTE: OMELETE.COM.BR
     Pois bem senhores, o jogo é continuação direta do jogo BATMAN ARKHAM ASYLUM, jogo que começou essa sequência majestosa de jogos do BATMAN (eu gosto de ARKHAM ORIGINS mesmo sendo o jogo pra encher linguiça, me julguem), nele a prefeitura de Gotham isola uma parte da cidade e cria uma prisão a céu aberto, e nela o BATMAN se infiltra para investigar o que está acontecendo lá dentro.
     Uma vez lá dentro o morcegão tem que enfrentar seus vilões clássicos para descobrir quem é a mente por trás do plano para destruir ARKHAM CITY, enquanto procura uma cura para o sangue envenenado do coringa que o mesmo injetou no nosso querido cavaleiro das trevas  (não entendeu? Jogue o jogo que eu garanto que é sucesso).
     O jogo é, sinceramente, um dos melhores jogos que eu já joguei. Da primeira vez que entrei no mundo do jogo eu não queria mais sair até terminar e saber como acabaria este capítulo da gloriosa saga do homem morcego.
     O roteiro do jogo é literalmente de explodir cabeças completamente, além disso a jogabilidade, tanto do modo de luta normal quanto o do modo predador são bem flúidos, de um modo que da prazer de jogar o jogo mais de uma vez. Além disso as missões secundárias e a DLC garantem muito tempo a mais de diversão
     Uma coisa que eu curto nesses jogos é de colecionar skins de personagens, e esse jogo da uma quantidade enorme de skins para os quatro personagens jogáveis: BATMAN, ROBIN, ASA NOTURNA e MULHER GATO, entre as minhas favoritas estão a skin do BATMAN do futuro e do BATMAN de “o cavaleiro das trevas retorna” (aquela que o uniforme do BATMAN do próximo filme é baseado).
468px-Batmanu
     E, pra não dizer que eu não falei de quadrinhos, foi lançada uma HQ que mostra o que aconteceu no período entre o primeiro e o segundo jogo, como o batman decidiu investigar a cidade e como a mulher gato ficou presa lá dentro.
 batman-ark-city-comic-1-full
     E recentemente saiu o último jogo da franquia BATMAN ARKHAM (pelo menos os feitos pela rocksteady): BATMAN ARKHAM KNIGHT; cuja história consegue superar com uma vantagem imensa a do segundo jogo, eu já vi a história e asseguro a qualidade dela.
     Finalizando, BATMAN ARKHAM CITY é um jogo que elevou jogos de super heróis a um novo patamar, conseguindo fazer o jogador se sentir o BATMAN com toda a sua habilidade para lutas e investigação.
     Pra você que chegou até aqui eu agradeço muito, críticas e sugestões podem fazer no meu Twitter: pedro_nina54, beijos e abraços seus lindos, e até o próximo domingo.
Espalhe o Dudecast
The Dudes © 2017