Arte da Capa: Igor Pineli

Salve, Dudes! No (rebolador) papo de hoje, Raphael, Andrey, Diego Birth, Henrique Henriques e Rhuan falam sobre FUNK! Sim, é isso mesmo!

RECADOS AOS DUDES:

– Mande o seu e-mail para os Dudes e os deixem felizes:

dudecast@thedudes.com.br  (tem até formulário no site, deixa de ser preguiçoso)

– Feeds dedicados para Android: DudecastDudes Entrevistam

Feed no iTunes

– 5 ESTRELINHAS NO ITUNES COM A PONTE DO MARIO! *Plim*

– The Dudes no Facebook

– The Dudes no Twitter

Papo com o Dedey no YouTube

– Canais do Diego Birth: DiBoberaDiego Birth Cover

REDES SOCIAIS DOS DUDES:

– Instagram: Rapha, Andrey, Matheus DudeRhuanHenrique Henriques e Diego Birth

– Twitter: RaphaAndrey, Matheus DudeRhuan, Henrique HenriquesDiego Birth

Link no Post:

Dude Rebolante!

Duração: 01h01min52seg

Tamanho: 42,7MB

Créditos: Music by audionautix.com under Creative Commons License 3.0

Music by incompetech.com under Creative Commons License 3.0

Espalhe o Dudecast
  • Marcelle Freitas

    Hey Dudes, Senta que la vem história. (Esse é longo)

    Minha história com o funk começou tb no Rap Brasil. Me lembro de ser Mt criança e dançar nas festinhas de família. Que sempre eram bem animadas.
    Aprendi passinhos com meu tio mais novo, minha diferença pra ele são de 14 anos. Ele já foi DJ e tocava o som nas festinhas.
    Hoje em dia pouca coisa mudou em relação as festas de família e o Funk. Na ultima festa ensinei minha mãe e minhas tias a fazerem a sarrada no ar. Foi hilário, mas não tenho autorização de mostrar o vídeo.

    Os Funks antigos que vem na minha cabeça tem do Andinho, Estrada da posse, Rap do Silva. Alem do Melody tem o funk charme (rap da diferença), e tem baile charme no viaduto de madureira que é muito legal.

    Dedei, O castelo das pedras fica na comunidade de Rio das Pedras em Jacarepaguá. As pedras são imitando um castelo. (É mau feito, mas era o que tinha)
    Ah o castelo, quanta saudade! Tive histórias mt boas naquele lugar. Vocês tem coragem em ir de pista, eu quando ia ia no camarote, as paredes tremiam e o chão tb! A unica vez que eu entrei na pista com umas amigas, um cara mandou um oi, mais faltavam os atacantes. Desenrolamos com o segurança pra subir pro camarote, que estava com a lotação máxima. Mas é que nem coração de mãe, sempre cabe mais um.

    Assim como o Rafa meu namorido detesta funk e eu tenho uma veia favelada dentro de mim, apelidada de Marcelaine pelo meu boy. Um dia ele quis me acompanhar no barra music no show do Naldo. Dia cheio de pérolas, começando pelos exemplares nativos de nem embaladas a vácuo (gordas ou magras), a nem que mijou no chão no meio da casa de show lotada, ou o cara que escorregou no xixi da nem e catou a dita cuja quando levantou. Os dançarinos que a roupa acendiam luzinhas e no meio da dança deu pane em um que tomou choque e a roupa apagou depois.
    Ou o Naldo que tentou levantar uma fã no palco. Cena tétrica, ri mt a menina caiu no palco como uma jaca e deu uma roladinha antes de levantar. Ele cantava uma musica e dava um sapato pra menina. Mas o pé dela era muito maior que o sapato, mas nossa amiga jaca, usou mesmo assim e saiu dando umas mancadinhas do palco.

    Quanto a Jacarepaguá , Diego Birth, meu querido ta afim de levar uns tapas?
    Agora sem agressividade , JPA é um Bairro gigante e existem sub bairros. Eu morei mt tempo no Pechincha, Próximo ao Retiro dos Artistas (que é um asilo para ex famosos, que tem a festa junina que passava na globo)
    Concordo que tem sub bairros bem pobres, mas tem uns bons como pechincha, freguesia e valqueire. Nós temos nossa própria madureira que é a taquara (que é tão grande que os sub bairros dela emancipara, tb.) Sim um sub bairro tinha sub bairros.
    Você pode até falar que é longe, mais buraco foi de mais!

    Desculpem pelo comentário tão grande.
    Um Beijo seus Lindos!

    OBS:
    Ôh dudinho eu quero te ver contente,
    Não abandona o Cast da Gente.
    No Dude Cast você sempre tem moral.
    Manda coment e E-mail, que nós lemos de geral.

    Então pega o telefone, desbloqueia a tela.
    Vai naquele app e atualiza o feed dela.
    Pra mostrar pra ela, pra mostrar pra ela.
    Que hoje tem dude cast, pra alegria da galera.

  • Marcos Aguiar

    Salve Dudes.
    O que mais tenho são histórias com Funk como todo bom carioca, mas hoje vai minha última aventura nos tempos faculdade.
    Lá pelo último período há exatamente 1 ano já tendo acabado a monografia estava de bobeira com os meus amigos de laboratório e do nada tivemos a ideia de partir para Caninha ( chopada lendária da engenharia naval UFRJ). Agora meus amigos visualizem 3 caras numa sexta começo da noite sem nada para fazer num laboratório de neurociência ia dar mercado com certeza. Lá fomos nós cantando o refrão ( ela não gosta de mim só porque eu vim da roça) referência por ter vindo de Itaboraí. Chegando superlotação uma fila do cacete e nós já bebendo. Os shows foram MC Smith e MC Karol, tava lá curtindo muito zuando levantando as minas no ombro do alto dos meus 1,93 quando o MC Smith olha lá do palco e fala no microfone ( VC ai Grandão chega ai) meu parceiro logo começou o coro ( Marcão Marcão). Fui lá e carreguei o sujeito nas costas por todo local, só que neste meio tempo roubaram minha mochila e começou minha batalha meus amigos deram o perdido cada um foi para um lado e eu fiquei sozinho sem dinheiro pra voltar para casa 2% de bateria no celular virei pro lado e todo mundo se pegando, esse foi o momento senta e chora. No fim achei a mochila pendurada a carteira vazia, mãe deixaram o Rio card e ainda fiquei com uma mina que me ajudou a achar a mochila. É isso aí Dudes se virem para resumir isso tudo. Kkkkkkkk
    Ahhhhh e se um dia quiserem gravar um episódio Causos Clínicos contando um pouco das doideiras que os profissionais de saúde passam atendendo por aí. Só chamar.

  • Marcos Aguiar

    que mais tenho são histórias com Funk como todo bom carioca, mas hoje vai minha última aventura nos tempos faculdade.
    Lá pelo último período há exatamente 1 ano já tendo acabado a monografia estava de bobeira com os meus amigos de laboratório e do nada tivemos a ideia de partir para Caninha ( chopada lendária da engenharia naval UFRJ). Agora meus amigos visualizem 3 caras numa sexta começo da noite sem nada para fazer num laboratório de neurociência ia dar merda com certeza. Lá fomos nós cantando o refrão ( ela não gosta de mim só porque eu vim da roça) referência por ter vindo de Itaboraí. Chegando superlotação, uma fila do cacete e nós já bebendo. Os shows foram MC Smith e MC Karol, tava lá curtindo muito zuando levantando as minas no ombro do alto dos meus 1,93 quando o MC Smith olha lá do palco e fala no microfone ( VC ai Grandão chega ai) meu parceiro logo começou o coro ( Marcão Marcão). Fui lá e carreguei o sujeito nas costas por todo local, só que neste meio tempo roubaram minha mochila e começou minha batalha meus amigos deram o perdido, cada um foi para um lado e eu fiquei sozinho sem dinheiro pra voltar para casa 2% de bateria no celular virei pro lado e todo mundo se pegando, esse foi o momento senta e chora. No fim achei a mochila pendurada com carteira vazia, mas deixaram o Rio card ( quem te Riocard vai a Roma) e ainda fiquei com uma mina que me ajudou a achar a mochila. É isso aí Dudes se virem para resumir isso tudo. Kkkkkkkk
    Ahhhhh e se um dia quiserem gravar um episódio Causos Clínicos contando um pouco das doideiras que os profissionais de saúde passam atendendo por aí. Só chamar.

  • Jorge Augusto

    Salve Dudes funkeiros! Suavis?

    Nunca vi o Rhuan tão empolgado com um tema quanto com esse. Quem me surpreendeu foram o Raphael e o Diego. Não sabia que eles entendiam de funk! Claro que o Rapha tá mais próximo do que eu pensei, mas nosso amigo Di Bobeira… O.o

    O que eu tenho a dizer sobre funk? Não curto e torço o nariz para os atuais, eu só tolerava o que vocês chamaram de funk melody (e ainda restrito a músicas de artistas como o Bochecha, que tem consideração pela melodia da música, nada de “tum cha cha tum cha cha” apenas).

    Vou parar por aqui antes que o Rhu venha de voadora kkkkkkk

    Grande abraço e até o próximo comentário.

The Dudes © 2017